Notícias

GTR promove espetáculo na Vila

21/01/2016

Os pacientes residentes do Hospital Vila São Cottolengo tiveram uma tarde muito especial nesta quinta-feira. O Grupo Imagem Artes Integradas realizou apresentação do espetáculo Clowns Tô Folia. Foi uma oportunidade para os moradores interagirem com outras pessoas. Além do espetáculo, a GTR – Gestão Transparência e Resgate Social doou 100 pacotes de fraldas descartáveis.

 Para a irmã Márcia Simões da Rocha, diretora Administrativa da Vila, cerca de 40% do sustento da instituição, que possui 365 pacientes, é proveniente de doações. “Aqui é a casa dos meninos”, diz a religiosa carinhosamente. “Todas as doações de alimentos, roupas, produtos de higiene e limpeza, que chegam são muito bem vindas”, contou. Somente fraldas descartáveis são utilizadas mais de 24 mil por mês, já que cada paciente é trocado em média seis vezes ao dia.

 Um detalhe importante salientado por irmã Márcia é que os moradores não são pessoas tristes nem doentes. “Eles são deficientes e alegres”, contou.

 Tiago Patrício, psicólogo que acompanha os pacientes, salientou a importância de eventos como esse. Ele explicou o quanto é importante para a realização do trabalho com o lado lúdico e deu como exemplo a gentileza e o carinho que foram transmitidos durante a encenação. “A apresentação mostra que para conquistar um amor o carinho e a atenção são fundamentais”, exemplificou. “Nos próximos dias, poderemos usar o contato que os moradores tiveram para trabalhar esse lado”, justificou.

 Para a assessora Administrativa da GTR, Joelma Costa, a ação faz parte do planejamento da instituição para contemplar o acesso da população à Cultura. “Hoje tivemos um dia gratificante. Foi gostoso o contato com as pessoas que moram lá. Pudemos fazê-los rir, dar um abraço. Tenho certeza de que sair da rotina diária e assistir a uma apresentação de uma peça, foi muito importante para eles também”, disse.

 A atriz Cristyane Leal, que representa uma palhacinha afirma que, “apresentar aqui hoje foi muito importante. Eles são muito espontâneos e reagem de uma forma muito legal, que nos energiza bastante”, contou. “Nossa proposta sempre foi apresentar para todo mundo. O teatro, historicamente, sempre foi uma arte elitizada, acessível para poucos. É direito do cidadão, ter acesso à Cultura, à Arte. Para nós, foi uma honra participar desse evento”, completa.

 Cleusa Almeida, terapeuta ocupacional, trabalha com os moradores da Vila e integra o grupo Ronda da Alegria, como a palhacinha Aspirina, junto com o psicólogo Tiago, explica a importância da interação dos pacientes com os artistas e pessoas que visitam a Vila.

Fotos:

 

Vídeos:

Tiago Patrício, psicólogo

 

Cristiane Leal, artista do Grupo Imagem

 

Por: Assessoria de Imprensa

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Preencha os campos abaixo para deixar seu comentário.




Comentário não enviado. Preencha os campos obrigatórios!

Comentário enviado com sucesso!